terça-feira, 1 de maio de 2012

Tua sombra.

No escuro um pouco da luz que te sobra,
Me guia até onde podes ver,
Antes de tudo, nada era tão ruim,

Possessividade, é o meu mal.

Podes ver o que sinto?
Não. Verás o que lhe cai bem ver.
Para de doer, para de cair.

Vem sorrir, deixa de lado o que não existe,
Acredita,
Sinta,
Não volte a ser quem não és.

Sim possessividade, é meu poder,
Sou único, dentre batalhões sou o melhor,
Sou forte, tanto quanto podes ver.

Mas hoje, sou outro qualquer,
Pois sem ti não tenho,
Não terei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário