sexta-feira, 17 de junho de 2011

Não vi passar

Aqui estou, com minha passagem no bolso, são exatamente 16:11, meu 'trem' vem as 21:00, várias opções, não quero nada, pois estou sentindo falta já, querer voltar, mas não querer de jeito nenhum, foi um sonho? Não posso falar nada, cansei de falar na real, estou meio cansado, agora vou refletir e tentar sorrir. É ruim esse aperto que estou sentindo, essa vontade de dormir, para não pensar... Poisé, foi bom, mas eu volto logo, volto diferente, como a cada dia que passa. A frase do momento é "Tentar ser o que tu és, não o que querem que tu sejas." Até julho :)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Agora

Só quero um tapa na cara de mim mesmo.

O pior chegou

Chegou e veio com bagagem, chegou pra ficar, e me destruir, é hora de gritar por dentro, é hora de olhar o escuro e viver ao lado de quem não vejo, é hora de não aceitar e não ver mais nada com bons olhos, é hora de eu contra mim, acabou a brincadeira, acabou, quer levar, leve o que consiga carregar o resto mando por carta, não aguento isso de tudo sempre contra mim, é tanta loucura que me passa pela cabeça, que acabo pensando que não vou durar tanto por onde estou, é tantos sorrisos sem preocupação que sinto inveja, queria ser assim, comum assim. Não dá, não nasci assim, sou confuso, tenho batalhas contra leões, acabei de sentir meu braço sendo partido, por uma bela mordida, todos não entendem, eu não entendo, mas fazer o que é o sentimento ruim pelo meu corpo todo, não posso fazer o que quero, pois seria egoísmo, a felicidade já se tornou segundo plano, o primeiro é quebrar quem me quebrou, de um jeito que só eu sei, quero ser ruim mas não dá, não faz parte de mim isso, então vou mudar, está na hora, está na hora de escrever, de olhar só eu e eu, perna que não para de mexer cigarro que vai acabando, isso me da nojo, estou com nojo, não sei como me controlar, não consigo pedir ajuda, pois não tenho as palavras mais, fugiu tudo de mim, só sobrou o branco, o branco mais pra preto, cometi um erro grande, não to nem aí, vou encarar como sempre encarei, mas a cada erro o peso é maior, bem maior, esse quase está me derrubando, vou sumir, pra melhorar e ser igual a você a todos, não quero dormir não quero esquecer, não quero que essa raiva passe, quero que ela desapareça de um modo melhor, de um modo mais divertido, vou esperar e aproveitar isso, que não era tão comum. Acabou não quero mais escrever.