quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Os figurões

Estou aqui em um escritório no começo do ano de 2016, tive uma noite interessante ontem, cheio de histórias sem graças pra contar. São dois anos cursando um curso superior, sem eu conseguir demonstrar muito minha felicidade porque não trabalho o desenvolvimento humano que sempre me propus a trabalhar, desenvolvo o conhecimento mercadológico que por muitas vezes julguei não ser importante, mas hoje no telefone ouvindo minha mãe chorar pelo fato de saber que não temos muito dinheiro e se não fosse um acaso não teríamos nem onde morar, pensei e refleti... Após fumar um cigarro na sensação de querer largar o vício, parei na frente do banco antes de ver o meu saldo, eu estava naquela reza insana de esperança para que eu tivesse dinheiro pra comer e sobrasse pra pagar o aluguel, pois não tenho tudo anotado como talvez deveria, então acabo tendo sempre um ponto de interrogação nessa parte do mês. Bom, não gosto muito de contar minhas histórias triste porque de certa forma acabo vivendo muita coisa legal durante minha caminhada e olho mais pra essas coisas. Contextualizando, eu comecei o texto no intuito de criticar, mas no meio da escrita uma história sobre a filha do cara do título me cativou, porque eu realmente me cativo fácil, mas quero seguir firme no meu pensamento confuso sobre a real situação da minha vida e por consequência desenrolar aqui.

Me encontro trabalhando em um lugar diferente, ok? Com um amigo que me mostrou ser uma pessoa bem iluminada, me ofertando essa oportunidade digna de fazer a minha "parte" na industria do capital financeiro. Mas o que realmente me convence? Minha vida tende a ir para outro lado, isso é um fato até exemplifico por eu estar nervoso em pensar que acabei de mandar imprimir 3 fotografias que são importantes pra mim, e minha felicidade é incontrolável! E a ansiedade então? Estou só por ver o resultado disso! Impossível descrever...

No meio disso está rolando uma reunião, mudanças estipuladas pelo sistema controlador do "nosso" produto, que é simplesmente:
- Acidente de trânsito.
As pessoas ganham dinheiro quando se acidentam, sabia? E tem gente que ganha para que isso seja pago, e essas pessoas tendem a torcer por mais acidentes, isso é horrível, não sei, não consigo achar isso um fator positivo, eu pareço um inocente, mas eu vi vídeos hoje de homens maltratando animais para fazer a indústria alimentícia rolar, que chegou a me dar ânsia de vômito, eu não sei porque me alimento disso, dessa forma não sei porque estou levando a vida desse jeito, nessa correria... Ano passado eu não vi o tempo passar, eu não amei, eu não descansei, eu só trabalhei e "estudei". Por mais irônico que isso pareça, eu trabalhava com nascimentos, filmando-os, hoje trabalho analisando processos de mortes e invalidez de seres humanos, sem contato algum, apenas organizando papelada 8 horas do meu dia, durante 5 dias por semana, isso é por ano, 2 mil e 112 horas dentro de um escritório, ou seja 88 dias inteiros do meu ano aqui dentro, organizando por um salário de R$ 14.400,00 anuais, sendo que deles R$ 8.680,00 são para bancar o aluguel do ano inteiro, me sobrando R$ 20,64/dia para aproveitar o tempo que sobra para fazer alguma coisa na minha vida, R$ 20,64 dá pra comprar duas cocas de dois litros em uma lancheria na cidade baixa.

É tudo uma questão de escolha, de jeito nenhum reclamo da situação que estou passando, levando em consideração que poderia estar pior, somente estou estranhando essa maneira de viver que nos regra e faz com que a gente viva presa nela, tenho medo de perder o que tenho, imagina pra onde estou indo então? Antes meus medos eram outros, hoje o sistema me comeu, me engoliu, tudo faz com que eu reflita, me confronte e desconfie do que quero pra mim. Gosto de escrever, de pensar, de analisar o que passo, hoje estou indo contra as regras do meu dia a dia que estou acostumado, porém, tudo tem sua importância, talvez se eu não escrevesse, não seria como sou.

Vou seguir aqui, está quase na hora da saída, o vento na cara, o joelho doendo, a caminhada, a proposta de conhecer o fórum social daqui a pouco... Então vou lá, ser simples na minha folga, parar de pensar e desconfiar do governo corrupto, pensar nos animais morrendo, nas pessoas com fome, na ruindade do ser humano, enfim, tentar ficar a par disso tudo, entender que o mundo pode ser meu corpo e dele, preciso cuidar melhor.

"Você faz faculdade?"
"Sem telefones repetidos, isso pode dar problema"
"Mandei demitir, passou despercebido"
"O café está bom, passado na hora"
"Você precisa de um espaço maior! Eu conquistei."

Personagens constroem o desenvolvimento da minha Alma, seja pra qual lado for, sempre torno positivo.

Vamos em frente.