quarta-feira, 23 de maio de 2012

Um conto;



E não é que o mais aliado se virou?
Diga-se de passagem não existiam laços ali, você que inventou,
Pare de se tremer todo, você não entende que lá fora é assim mesmo?
Não entende que depois que sai, nunca mais pode voltar?
O que você veio fazer aqui? Esperar o quê?
Não se algeme outra vez, não faça de você mesmo a escuridão.

-Olá, dizem que aqui eu posso me acalmar..
-Dizem é? Não, aqui você espera, pra tentar outra vez..
-Tentar o que?
-Tentar mostrar que você é alguém que possa existir..
-Como assim, eu existo!
-Quem disse isso?
-Todo mundo está me vendo!
-Eles até enxergam você, mas não faz diferença alguma pra eles.
-Eles também não fazem diferença pra mim, ok?
-Se eles não fazem diferença e você também não, por que você diz que realmente existe?
-Eu existo, porque preciso existir.
-Quem falou isso? Pra existir, você tem que tentar ser quem você é, sabe esse sentimento que você tem dentro que não consegue entender? Sabe?
-Sei, o que faço com ele?
-Nada, pois você desistiu e agora pra descobrir o que é, só daqui uma eternidade.
-Mas por que eu tenho que descobrir?
-Ué, você não quer descobrir?
-Talvez eu até queira, mas se eu não existo, pra que tudo isso!?
-É que a partir desse sentimento, você existirá.
-Tá mas quem é você?
-Eu sou você.
-Se você e eu somos a mesma pessoa, porque diabos está me respondendo?
-Pelo mesmo motivo que tá me perguntando.
-São essas respostas que você conseguiu até agora, vai desistir?
-Vou?

"Ele se acordou do sono meio parcelado que estava tendo, aos poucos foi abrindo os olhos, ao embaçar dos olhos que melhorara, estava vendo que já era de manhã. De manhã ele acordava pra conferir se alguém lembrou dele, às vezes sim, às vezes não.. A sua manhã passava muito rapidamente, quando menos percebia, tinha algum compromisso meio idiota para cumprir à tarde, à noite vai pra faculdade."


Horários como esses, são os que eu menos quero ter, horários como esses são os que mais me ensinam a viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário