quarta-feira, 23 de maio de 2012

Até logo;

Minha lucidez me assusta,
Às vezes preciso pensar e não compreender,
Me culpo muito, me julgo muito,
De todos, penso que o errado sempre sou eu,
Pra afastar de ti um pouco de responsabilidade,
Segurei o mundo, mesmo sem ninguém ver,

Às vezes não dá, às vezes não tem mais vezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário