quarta-feira, 30 de maio de 2012

Aqui, bem perto.

Eu não vou falar de ti, nem de mim, vou compor uma melodia.
Uma melodia diferente, sem rima, sem som..

A solidão vem batendo na porta, eu digo que não quero abraça-la.
Ela insiste, me disse que posso confiar, me deu motivos, grita
todos os dias no meu ouvido, pra avisar sua presença.
A saudade é outra amiga, que vem me contar suas histórias,
me faz lembrar do que não imaginava que havia acontecido.
Certas coisas andei esquecendo, outras fingi esquecer..
Ouvi um barulho, senti um medo, um receio, meia luz, fim de música.
Nada demais, apenas a rotina.
Voltei, ela voltou, mas não sei da onde eu vim.
Busquei achar o que dizia procurar, até pedi pra sentir, mas não adianta contar.
Hoje não tem porquê falar, não tem porquê sentir, o hoje não me vale de nada,
é como unir forças pra voltar a caminhar. Caminhei tanto e estou aqui, outra vez a chorar.
Sem lágrimas, sem dor alguma, apenas sem sentir o coração pelo pulso.
Sem sintonia, sem simpatia, sem melodia. Sem fim nem começo.
Até o óbvio me faz lembrar que de nada eu posso afirmar.
Não adianta mentir, nem contar o que estou sentindo, é tudo mentira.
Menti que estou mentindo, por tanto falei a verdade. Assim aos poucos revejo o que resolver;

"Começou um amor sem recordações, sem dores e sem amores,
Terminou com tudo que não tinha começado,
Senti falta do que tinha, do que tenho,
Mesmo que todos dizem que tudo segue em frente,
Discordo e sei que algo parecido jamais vou ter e nem quero,
Se um dia acabar o que sinto, não vou acreditar em mim,
Nem em ti, nem em ninguém,
Enquanto não te ter por perto, não quero ninguém também,
Prefiro viver na solidão do que na mentira,
Se eu amar outra vez, será o meu próximo cachorro.

Desculpa se sumi, desculpa se tentei fingir, mas estou aqui a dizer o quanto sinto e senti.
Se um dia te pedi, é minha obrigação te cuidar. Tudo que virá, se não tiver teu olhar, não terá valor algum.
De tudo que vivi, grito de saudades e choro de vontade,
Mas amo de verdade e não sei te mentir.


Com medo, mas com vontade de te ver chegar outra vez."

Nenhum comentário:

Postar um comentário