domingo, 29 de abril de 2012

Sininho.



"Porque é a que gente se cruza e não se fala? Porque é que eu te enxergo mas não te olho? Porque é que eu penso em ti e não digo? Porque é que a gente se perde de quem nos ganhou tão fácil assim?
De novo você, mulher malvada. Mal falada. "Vida", tchê que coisa ingrata.
Me pergunto se sou a única que fico triste quando eu me obrigo a fingir que não conheço mais quem por mim tudo foi capaz. Me pergunto se sou a única que sente profundamente por crescer, evoluir e com o tempo perceber que quem te faz bem na verdade, muitas vezes, não quer tanto assim seu bem. Me pergunto porque é que pra amadurecer tem que doer, corroer, fazer sofrer. Me pergunto porque todo machucado, por mais pequeno que seja, tem de arder. Me pergunto quem é você, que não me vê, que não me olha mas me reconhece. Me pergunto quem somos, quem nos tornamos e onde estamos. Me pergunto por fim, porque diabos nos abandonamos [...], pensamentos insano." Liv Gabrielle Salerno

Nenhum comentário:

Postar um comentário