segunda-feira, 4 de julho de 2011

Tanto faz

Pois tu és o único que me entendes.

Quando volta e vê que nada mudou, está igual, tão escuro, nem tanto.
O silêncio está tão barulhento hoje, a noite está tão sem palavras, essa música me confortou.

Lá volta ele, tão sem jeito, tão intimidado pelo vento forte no cabelo, suas bochechas vermelhas,
efeito do frio, efeito da vida, seu sangue mudou de cor, sua rotina mudou o cheiro, seus dias ficaram
mais azuis, menos cinzas, mais assustador, não? O sem sentido, faz sentido pra mim, não para você.

Não sinto mais o que sentia tanto, não sinto vontade que tinha antes.
Acho que sinto falta da rotina, pois sem ela, fico tão perdido, mas quando estava lá
chorei com saudades disso, disso que vivo hoje. Aquela noite que estava errado, só queria ficar como
estou agora, aquele dia tão amarelo, tão sem graça como qualquer coisa simples.

Nem sonhar, sonho mais. Não vejo com os olhos que via antes, isso me dá um frio.
Não posso me mexer, quem disse? Estou esperando meu amanhã. O café me fez mal.

".. senti falta de mim."

Nenhum comentário:

Postar um comentário