segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Pequena Sobra.

Escrever sobre ti?
Ah, que audácia é essa?
Aparecer, sem permissão, por quê?
Sentiu o cheiro do meu desejo?

Samba ali, choros? Não mais.
Chorinho, talvez, é pois é.
Antes de ti, nada,
Depois, vazio.

Por que? Já era pra ti ter ido embora.
Ir embora e não mais voltar.
Me deixar, deixar eu sonhar, deixar eu amar.

Viver, não sei,
Morrer, jamais.
Deixa eu seguir,
Cair na estrada,
Pra meus cabelos, poder sentir.
No rosto, no olho amargo,
Verde, quando pro céu, azul.

Olha, o barulho lá fora.
Gente gritando meu nome,
Assoviando e dizendo olá.
Gosto daqui, amo lá.
Eu te amo, mas não te vejo.

Eu não tenho como falar,
Mas quando mais eu precisei,
De pouco eu escutei,
Palavras da tua boca,
Engasguei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário